segunda-feira, 30 de abril de 2007
Nota mental [2]
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador
Despejar todos os dias o furador


Despejar todos os dias o furador

Despejar todos os dias o furador

Despejar




todos





os





dias




o




furador
 
posted by Papoila at 12:33 | Permalink | 3 comments
Nota mental [1]
(esta da "nota mental" apanhei (eu sei, é um raio de um vício que eu tenho, este de apanhar expressões dos outros) com uma formadora da qualidade no meu former emprego. Irrita-me um bocado, nota mental. Tem um quê de presunçoso, mais vale dizer "não esquecer", ou coisa que o valha. Ou isso ou um post-it!)

Não deixar cair furadores que não são despejados à três quinze dias.

É um bocado chato...
 
posted by Papoila at 12:28 | Permalink | 1 comments
quinta-feira, 26 de abril de 2007
Quem é
Pedro Arroja?

Para além de ex-colaborador do Blasfémias...
 
posted by Papoila at 15:14 | Permalink | 2 comments
terça-feira, 24 de abril de 2007
Constatando factos [3]
Eu nunca traí. E orgulho-me de o poder dizer.
 
posted by Papoila at 11:24 | Permalink | 4 comments
segunda-feira, 23 de abril de 2007
Lembras-te
na 6ª feira à noite, estava a dar aquela série que não sei o nome, um episódio sobre o dia dos namorados em que eles decidiram escrever numa espécie de postal improvisado o que sentiam um pelo outro? E eu sugeri que fizessemos o mesmo e tu perguntaste "queres?" e eu sem saber bem porquê "não, deixa estar" quando na verdade queria?

Por muito que insistas comigo ainda não consigo dizer sempre aquilo que me vai na alma. Embora tu saibas que vai qualquer coisa e sou eu que não digo. Já me conheces tão bem! Mas sabes que a nossa relação sempre foi tudo menos convencional. Nunca foi um namoro tal como nós os conhecemos e por isso sempre me habituei a olhar-te como um amigo especial. Sei lá, é como se os ingredientes (para o namoro) estivessem lá todos mas ainda não tivesse ido ao forno. Não sei. Mas (de repente) gradualmente as coisas foram mudando em ti mais do que em mim. O simples facto de me teres perguntado naquela 6ª feira "queres?" é significativo. E o problema é que eu acho que não estou preparada para saber de algo que se calhar ainda não é aquilo que eu julgo ser.

Confuso? Também acho... Mas eu sou confusa, sabes disso, e a nossa relação também. Embora cada vez menos, acho eu!

Vês? Acho eu! Acho! E se não for? E se a nossa relação, para ti, for exactamente igual ao que era à 6 anos atrás?

A questão é que eu tenho um medo enorme de te perder, e isto nunca te tinha dito embora ache que o percebas, claro que percebes... Já te disse n vezes que te adoro, já te disse n-l vezes que te amo mas ainda não te disse que tenho medo de te perder, assim, com todas as letras.

E depois também acho que tive medo que te "assustasses" com o que eu pudesse escrever. Com a intensidade do amor que eu sinto por ti, que não sei se tens a noção. E também não consigo pôr esse sentimento todo em palavras e nunca iria conseguir passar para o papel o que verdadeiramente sinto por ti...

Queria apenas dizer-te que te amo muito, mesmo quando às vezes estou mal disposta e (também eu) respondo torto...

Queria apenas dizer-te que quero adormecer e acordar ao teu lado o resto da minha vida...

Queria apenas dizer-te que para ser feliz para sempre bastas-me tu...

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:52 | Permalink | 3 comments
sexta-feira, 20 de abril de 2007
Constantando factos [2]
Gosto muito do meu trabalho, mas ganhasse eu o euromilhões a ver se me apanhavam aqui...
 
posted by Papoila at 16:15 | Permalink | 0 comments
Constatando factos [1]
A sopa do meu pai é melhor que a da minha mãe
 
posted by Papoila at 13:01 | Permalink | 0 comments
quinta-feira, 19 de abril de 2007
Acho que não consigo
usar a palavra intelectual sem lhe pôr um pseudo antes. Intelectual por si só tem um quê de pretenciosismo que me irrita sobremaneira. O que é um intelectual, afinal de contas? Logicamente, será alguém que usa o intelecto, alguém que pensa. Ora, por definição qualquer pessoa pensa, logo, qualquer pessoa será intelectual. Podemos é não concordar com aquilo que os outros pensam, o que é sempre saudável. Questionar, quero eu dizer.

Maneiras que, de cada vez que oiço alguém referir-se a outrém como "intelectual" (sim, porque ninguém se refere a si próprio como intelectual, pode pensar mas não verbaliza) parece-me a mim que esse outrém é um pobre coitado com a mania que as suas ideias (os seus pensamentos, portanto) são superiores às dos outros.

Acho que o culpado foi um professor de Macroeconomia que se dirigia a nós, alunos, como "jovens intelectuais de esquerda" e toda a gente se ria muito e achava muita piada...
 
posted by Papoila at 15:04 | Permalink | 4 comments
Tenho cá para mim
que os blogs são o actual expoente máximo da liberdade de expressão. Não necessariamente de qualidade.

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:28 | Permalink | 0 comments
Eu hoje sinto-me assim...


Spoooooooooooorting!!!!!
 
posted by Papoila at 11:18 | Permalink | 4 comments
quarta-feira, 18 de abril de 2007
Gira Gira
 
posted by Papoila at 15:42 | Permalink | 7 comments
Feia Feia
Esta é de caras...

 
posted by Papoila at 15:41 | Permalink | 3 comments
Giro Giro



Giro Giro é para simplificar, porque para mim este é o tipo Giro Giro Girérrimo Lindo Maravilhoso Levamaoaltar!!!
 
posted by Papoila at 15:38 | Permalink | 2 comments
Não consigo compreender
as pessoas não crentes (em Deus, por supuesto) que se casam pela Igreja.
 
posted by Papoila at 15:31 | Permalink | 6 comments
1. Feio Feio
 
posted by Papoila at 14:26 | Permalink | 3 comments
Um pouco à imagem
da Luna, ou melhor, totalmente inspirada da sua série feios giros, que começou aqui, decidi fazer não uma série mas apenas 4 posts de:
1. Feio feio
2. Giro giro
3. Feia feia
4. Gira gira

Espero que não leves a mal Luna.

A emissão segue dentro de momentos.
 
posted by Papoila at 14:19 | Permalink | 0 comments
Nem de propósito...
Ontem na 2 deu um documentário que quanto a mim poder-se-ia chamar "A estupidez dos americanos não tem limites".

Pois que fiquei a saber que qualquer pessoa pode comprar (sim, comprar!) e ter no quintal (sim, no quintal!) como animal de estimação um leão/tigre/qualquer outro felino exótico (sim, leão/tigre/qualquer outro felino exótico!). Claro que isto não me devia espantar, num país que consagra na Constituição o direito a qualquer cidadão de possuir uma arma....

Pois que fiquei a saber do número (embora agora já não saiba precisar, mas para o caso também não considero relevante) de crianças (e adultos) mortas ou mutiladas porque os seus queridos e zelosos papás decidiram comprar-lhes como animal de estimação (os pets deles, estão a ver?) nada mais nada menos do que um leão/tigre/qualquer outro felino exótico. E depois, choram, pois choram. E depois não compreendem, pois não compreendem, porque o bicho (eles lá chamam cat a tudo o que seja felino, são uns amores) até era "tão carinhoso, até dava festinhas com as patas e beijinhos e brincava e tuditudo". Claro que isto não me devia espantar, num país que consagra na Constituição o direito a qualquer cidadão de possuir uma arma....

Pois que fiquei a saber que os leões/tigres/quaisquer outros felinos exóticos quando atacam os seus (isto agora custa a sair)... errrr... pronto.... donos, o que é que lhes acontece? São nada mais nada menos do que expulsos do estado onde são mantidos. Expulsos! Os leões/tigres/quaisquer outros felinos exóticos. Aos donos? Não sei. Sei de um casal que foi acusado de maus tratos ou algo parecido, apenas porque as condições em que os mantinha em cativeiro não seriam as melhores (que chatice pá, uma pessoa até tem as jaulas bonitinhas, lavadinhas, eles até têm espaço para se deitarem o que é que querem mais????). Claro que isto não me devia espantar, num país que consagra na Constituição o direito a qualquer cidadão de possuir uma arma....

E pois que fiquei a saber que os requisitos para se ser proprietário de um leão/tigre/qualquer outro felino exótico variam de estado para estado: se nalguns (palavra feia esta - mas existe, não existe?) os requistos existem (e não me perguntem quais são, não me interessa, acho totalmente irrelevante, não devia ser permitido tê-lo e pronto), noutros pura e simplesmente nem uma licença é necessária. Mais uma vez não é isto que faz a diferença. Mas é um facto que foi levada uma proposta de lei que limite a posse de leões/tigres/quaisquer outros felinos exóticos por parte de particulares que foi chumbada... Claro que isto não me devia espantar, num país que consagra na Constituição o direito a qualquer cidadão de possuir uma arma....

Enfim, se a estupidez humana não tem limites, a americana consegue ultrapassá-los...

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 10:01 | Permalink | 2 comments
terça-feira, 17 de abril de 2007
É por estas e por outras que eu às vezes preferia viver no meio dos animais ditos irracionais...
 
posted by Papoila at 10:25 | Permalink | 4 comments
Já tinha saudades
de andar de mota nas noites quentes a cheirar a Verão!

Que bem que soube (sabe)!
 
posted by Papoila at 09:23 | Permalink | 4 comments
sexta-feira, 13 de abril de 2007
Wheeeeeeeeee!!!!!!!!!!!!!!!!!
Consegui entregar o IRS antes do prazo! Viva, viva!!!! Palminhas para mim! Clap, clap, clap!

Agora resta-me esperar não se apanhada pela bófia até levar o carro à inspecção...

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:55 | Permalink | 6 comments
Tchanannnn!!!!
Este é o meu novo-velho blog.

Eu acho o máximo!

:)

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 09:53 | Permalink | 8 comments
quinta-feira, 12 de abril de 2007
Falha imperdoável
Eu já aqui pus não sei quantas letras de músicas e capas de CD's e, imperdoavelmente, deixei passar uma das minhas bandas de sempre, se não a banda de sempre. E digo isto porque me é extremamente difícil (quais difícil, é impossível!) escolher UMA banda, UMA música, UM álbum, UM livro, UM filme, e por aí fora.

Mas os REM são especiais para mim. Acho que começa porque "Out of Time" foi o primeiro CD que comprei, tinha aí uns 11/12 anos. Antes já tinha gravados em cassette o "Reckoning" e o "Green". Gosto mesmo muito do som deles, das letras que são fantásticas. E o concerto no pavilhão atlântico em 1998 ou 1999 (já??? será??? também não tenho aqui o bilhete por isso não posso confirmar) foi qualquer coisa de fenomenal. Amei.

E de entre várias (todas), escolhi esta, apenas porque sim. Porque é uma lindíssima canção de amor... :)

Nightswimming

Nightswimming deserves a quiet night.
The photograph on the dashboard, taken years ago,
turned around backwards so the windshield shows.
Every streetlight reveals the picture in reverse.
Still, it's so much clearer.
I forgot my shirt at the water's edge.
The moon is low tonight.

Nightswimming deserves a quiet night.
I'm not sure all these people understand.
It's not like years ago,
The fear of getting caught,
of recklessness and water.
They cannot see me naked.
These things, they go away,
replaced by everyday.

Nightswimming, remembering that night.
September's coming soon.
I'm pining for the moon.
And what if there were two
Side by side in orbit
Around the fairest sun?
That bright, tight forever drum
could not describe nightswimming.

You, I thought I knew you.
You I cannot judge.
You, I thought you knew me,
this one laughing quietly underneath my breath.
Nightswimming.

The photograph reflects,
every streetlight a reminder.
Nightswimming deserves a quiet night, deserves a quiet night.

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 14:52 | Permalink | 3 comments
quarta-feira, 11 de abril de 2007
Admiro as mulheres
que sofrem de TPM. Ao menos os seus dias de neura têm data marcada e motivo plausível.

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:24 | Permalink | 0 comments
Mas que raio de país é este
onde uns quaisquer anormais podem à vontade fazer e expôr (só) numa das artérias mais movimentadas de Lisboa uma merda de um cartaz (que felizmente foi rapidamente vandalizado) a praticamente apelar à expulsão dos emigrantes, e um bando de humoristas que decida (e bem) gozar com esses mesmos atrasados mentais (se bem que... não se deve gozar com os diminuídos, quer física quer mentalmente, ai ai ai!!!), sofre ameaças à sua integridade física! Pior, sua e não só, da sua família também!

Que merda vem a ser esta???

Era enfiá-los a todos em câmaras de gás!

Que me desculpem, mas não posso com gentinha desta...

E exterminá-los a todos, não???

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 15:06 | Permalink | 6 comments
segunda-feira, 2 de abril de 2007
Portanto a modos que
não me apetece falar muito sobre isso.

Apenas que não sei se foi ou não. Por vezes existem acontecimentos nas nossas vidas que só compreendemos se fazem alguma diferença ou não passado algum tempo, e vou deixar o tempo falar por si.

De qualquer das formas, depois da pior noite (6ª feira) dos últimos tempos (meses? anos?), em que a angústia foi quase quase insuportável e a espera desesperante até quase ao limite (ainda não sei como consegui ultrapassar aqueles sentimentos destrutivos, e uma certeza retirei: não quero voltar a sentir o mesmo, nunca mais!), um fim-de-semana bom, muito bom: de conversa, de choro, de lavagem de alma, de reencontro, de afastamento de medos.

Obrigada por (ainda) me compreenderes e aceitares.

Já te disse que te amo?

Etiquetas: ,

 
posted by Papoila at 10:51 | Permalink | 4 comments