quinta-feira, 29 de março de 2007
Não sei porquê
(ou até sei), mas quer-me cá parecer que amanhã vai ser o primeiro dia do resto da minha vida...

A ver vamos.

Etiquetas: ,

 
posted by Papoila at 10:32 | Permalink | 7 comments
terça-feira, 27 de março de 2007
E como é que sabemos
se gostamos mesmo daquela pessoa, ou se apenas gostamos de... gostar?

Etiquetas: ,

 
posted by Papoila at 20:39 | Permalink | 5 comments
Olhái a Candy, Candy!! :)
 
posted by Papoila at 19:08 | Permalink | 1 comments
E vídeos?
Como é que se postam? Não é o link, é aparecer mesmo o vídeo aqui no blog.
Muchas gracias
:)
 
posted by Papoila at 15:49 | Permalink | 4 comments
Então e porquê
que não podes simplesmente aceitar quando as coisas estão a correr bem? Porquê que tens que questionar tudo, todas as frases, todas as acções, todas as omissões? Porquê que tudo aquilo que não corre como tu queres tem que ser sinal de que algo não está bem?
Deixar simplesmente as coisas correrem, da forma que tem que ser, não será a melhor opção? Ou a questão nem será esta, não se trata de deixar as coisas correrem ou não, mas antes de estar constantemente com dúvidas...

Tantas vezes que já ouviste efectivamente "eu gosto de ti" não chegam para te apaziguar as angústias? O dia-a-dia tal como ele é não é suficiente? As fotos no telemóvel não serão indicadoras de algo bom?

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 14:08 | Permalink | 2 comments
segunda-feira, 26 de março de 2007
Giro, giro
é a malta com a mania que é esperta desatar a criticar os erros de Português dos outros e nessas mesmas críticas... dar erros de Português... ai ai...
:DDD
 
posted by Papoila at 14:09 | Permalink | 5 comments
Há-des, Há-des...
(é assim que se escreve mal?)

Ok que os Morangos com Açúcar (que sim, vejo, se estiver em casa obviamente (cruxifiquem-me lá outra vez, vá!)) não são propriamente uma série de elevado nível cultural, nem com pretensões de educar quem quer que seja. São uma série juvenil, como tantas outras que volta e meia invadem as nossas televisões, desde o Beverly Hills até à Malhação, desde os Verdes Anos até à Uma Aventura.

Mas porra, meterem uma "professora" a dizer "há-des" é demais... Não há qualquer tipo de controle de qualidade???
 
posted by Papoila at 12:52 | Permalink | 3 comments
Do que eu gostei mesmo mesmo
neste fim-de-semana, mais do que o golaço do Quaresma (meu Deus, o homem tem poderes divinos que lhe permitem controlar a trajectória à distância, só pode! A bola efectivamente mudou de direcção ali em cima da baliza!!! Jasus!), foi da apuração da selecção nacional de râguebi. Amei!

E agora começava o declínio do futebol e a era de ouro do râguebi em Portugal. Era giro, não era? Assim uma mudança de protagonistas....
 
posted by Papoila at 11:18 | Permalink | 1 comments
Mas afinal
quem é que foi considerado o "Maior Português de Sempre" (era este o título?)? Tanta coisa, tanta coisa e nem nada nos jornais!

Sim, eu sei, de deu na televisão, mas entre Dr. House, Miami Ink e "Grandes Portugueses"... enforquem-me, imolem-me, deitem-me numa banheira cheia de piranhas, mas preferi os dois primeiros...

Mas já agora gostava de saber...
 
posted by Papoila at 10:21 | Permalink | 6 comments
sexta-feira, 23 de março de 2007
Masters of the Universe Yeahhhhhh!!!!!!
Já que estamos numa de recordações, He-Man e seu arqui-inimigo Skeletor:


















Então e a She-Ra? Grande heroína! :)


 
posted by Papoila at 17:46 | Permalink | 2 comments
E a Candy Candy?

De fazer chorar as pedras da calçada...

 
posted by Papoila at 16:39 | Permalink | 2 comments
O que eu curtia isto pá!


Com direito a caderneta de cromos e um T-Shirt que ganhei com a dita caderneta! T-shirt essa que me durou uns bons aninhos, ao fim (qual fim, ainda a lá tens!) já a usava só para dormir...

E se bem m'alembro... havia o Tummi Bear, a Sunnii Bear, o Zummi, os ogres... opá tão giro!!!

Hum, cá para mim ainda compro mazé o DVD...
 
posted by Papoila at 16:24 | Permalink | 3 comments
Atenção que só não apaguei o post repetido para poder fazer a minha piadinha fácil do mês:
Diz um post para o outro:
- Ai, eu sou tão sensível que não me podem clicar duas vezes no "Publish" que eu até me duplico todo!

:/

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:13 | Permalink | 2 comments
Eu por mim ADORO o calor,
o Tico e o Teco é que nem por isso...
Ficam assim a modos que... derretidos será a expressão....

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:11 | Permalink | 0 comments
Eu por mim ADORO o calor,
o Tico e o Teco é que nem por isso...
Ficam assim a modos que... derretidos será a expressão....

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:11 | Permalink | 0 comments
quinta-feira, 22 de março de 2007
E porque raio
é que o Twix, lá para meados de quê?, 1990? será? passou de Raider para Twix?

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:56 | Permalink | 7 comments
quarta-feira, 21 de março de 2007
Eu sou tão, mas tão
estranha que vou ao cúmulo de ler os blogs aqui ao lado pela ordem em que estão (alfabética, pois claro!), mesmo tendo uns que gosto mais do que outros, chegando ao ponto de ler um ou outro post mais à pressa (e invariavelmente volto lá mais tarde) só para chegar mais rápido ao(s) blog(s) x, y ou z...

Porquê que não vais logo primeiro a esses blogs que preferes? Sei lá, porque não!


Acham isto normal???
 
posted by Papoila at 15:13 | Permalink | 12 comments
Tenho por norma
não dar dinheiro a quem pede. Abro excepções para velhotes, basicamente. Os outros, a maioria tem corpinho para trabalhar os restantes são agarrados. Azar, para vícios bastam os meus.

Mas não consigo deixar de me sentir uma cabra insensível de cada vez que digo não e não e não e tantos nãos quantas as vezes que os gajos insistem "uma moedinha para comer por favor" com o seu sotaque pitcha ou kosovar...

Cabra!
 
posted by Papoila at 14:28 | Permalink | 1 comments
terça-feira, 20 de março de 2007
Como é que eu faço
um link para o e-mail?

Sim, sou naba...
 
posted by Papoila at 10:04 | Permalink | 9 comments
segunda-feira, 19 de março de 2007
Porque hoje é Dia do Pai,
um post antigo, que estava ainda em draft.



Pai

não é fácil, sabe? Crescer no meio de uma família numerosa, que eu adoro, mas onde se sente sempre que os Pais não se amam.

Crescer filha de um casal diferente dos padrões habituais à época. Porque hoje em dia tudo é normal, praticamente. Pais casados, pais separados, pai mais velho, pai mais novo, irmão da parte da mãe irmão da parte do pai irmão da parte de ninguém...

Tudo é aceitável hoje em dia, ou fui eu que mudei as lentes?

Mas há quê?, 20 anos atrás tudo era diferente. E claro, só notei a diferença quando fui para a escola primária. E essa (essas!) diferença acompanhou-me sempre, sempre, até ao final da adolescência. Primeiro não sabia que era diferente o ter uma Mãe mais velha. Sabia apenas que era mais velha que o normal. E por causa disso desde nova, desde demasiado nova, que tive medo da morte. Não da minha, mas das pessoas que me rodeiam. Na altura da da Mãe, que era, por um lado, a pessoa que estava sempre (sempre!) comigo e, por outro, a pessoa que eu sentia mais vulnerável e mais frágil por causa da idade. Não que eu não gostasse de si, longe disso. Era, e é, o meu Pai. A pessoa mais inteligente que eu conheço. A pessoa que sabia tudo, todas as respostas a todas as minhas perguntas e ainda assim respondia-me sempre que eu perguntava o significado de alguma palavra "Já foste ver ao dicionário?". Deve ser por isso que ainda hoje sou tão curiosa e gosto tanto de desfolhar enciclopédias. Mas continuando, não que não gostasse de si ou não tivesse medo de o perder. Simplesmente acho que essa hipótese não se punha na minha cabeça. O Pai era o Pai! Sabia as respostas todas, sabia o nome de todas as árvores, de todos os animais, de todas as estrelas. Sabia distinguir os cogumelos bons dos venenosos, era incapaz de matar uma aranha que fosse (infelizmente essa qualidade eu não consegui adquirir...), ia à pesca de noite sozinho (sozinho!!!), tirava-nos fotografias com uma máquina toda XPTO e viajava em trabalho e trazía-nos coisas que mais ninguém tinha... Acho que para mim era como se fosse imortal...

A Mãe... era mais velha, mais fraca, volta e meia com os seus achaques. E depois as discussões... Não que tenha ficado traumatizada, longe disso. Quer dizer, não suporto discussões, ainda, mas acho que é normal, ninguém gosta não é? Muito menos se envolverem gritos. Sou extremamente sensível e com os nervos à flor da pele (tudo, tudo! me faz chorar) mas acho que simplesmente... sou assim! Não é concerteza fruto das discussões (tantas, tantas...) a que assisti.

Mas tinha sempre medo que a Mãe se fosse embora, de uma maneira ou de outra... Aliás, não foram poucas as vezes que ela o ameaçou fazer, nem foram poucas as vezes que foi para o hospital com os tais achaques... O Pai não, o Pai estava sempre lá, nunca fez uma ameaça deste tipo.

É certo que era o mais exigente, em tudo. Sei lá, parece que tinha (tinhamos será mais apropriado) obrigação de ser perfeita. Na escola principalmente. Era o encarregado de educação, apesar de ser a Mãe que ia à escola quando havia algum problema com algum de nós (problema esse que invariavelmente tentávamos todos que o Pai não soubesse) e de ser também a Mãe que ia às reuniões de final de período. Mas a correspondência, essa, vinha para si. Negativas nos testes? Deus nos livre! Daí o meu perfeccionismo? Não sei... E quando era a hora das refeições? O que eu era um pisco para comer... E o Pai e insistir, insistir, insistir para eu comer... Antigamente não havia aquelas teorias todas que há hoje em dia sobre educação, que não se deve insistir, se a criança não quer mais não come blablabla. Eu isso subscrevo na íntegra, mas também acho que o comer é um hábito, que como todos os outros também se educa. Um bebé quando nasce não conhece o sabor dos espinafres, porque raio é que há-de gostar mais de doces???

Bom, mas tudo isto para dizer que gosto muito de si, apesar de nunca o ter dito...

Tenho um orgulho IMENSO na pessoa que é, na educação que me deu e nos horizontes de me alargou.

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:26 | Permalink | 4 comments
sexta-feira, 16 de março de 2007
Diz que
"(...) As seis grandes potências envolvidas no «dossier» nuclear iraniano chegaram quinta-feira a acordo sobre novas sanções. As seis grandes potências - os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Rússia, China, França e Grã- Bretanha) e a Alemanha - chegaram quinta-feira a acordo sobre novas sanções contra o Irão, por Teerão se recusar a suspender as suas actividades nucleares (...)"

Peço desculpa?

Eu sei que não é novidade, esta história de sanções a países não-alinhados. Não é de agora, mas o meu blog é. E não compreendo. Por acaso alguém impões sanções aos EUA por violarem os direitos humanos? Aliás, alguém faz relatórios com as violações e agressões nas prisões americanas? Por acaso alguém exige que os EUA revelem quem mantêm em Guantanamo? Por acaso algum país se lembra sequer de exigir que os EUA suspendam as suas actividades nucleares???

Qual é a diferença entre o Irão e os EUA, alguém me explica????

Caramba, esta ordem mundial já mete nojo.
 
posted by Papoila at 11:32 | Permalink | 4 comments
quarta-feira, 14 de março de 2007
Ora portantos
aceitam-se ofertas de bilhetes para o Super Bock Super Rock. Não precisam de ser passes de 4 dias, basta apenas para o dia 28. E não preciso de muitos, dois são suficientes.
Obrigada.

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:00 | Permalink | 3 comments
sexta-feira, 9 de março de 2007
Ai caraças, o que este homem é de bom...



Porra pá, de ir às lágrimas!
E subir ao altar, já agora, é só pedires!!!

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:51 | Permalink | 10 comments
Eu não posso é ver nada nos blogs dos outros...
 
posted by Papoila at 10:02 | Permalink | 3 comments
quinta-feira, 8 de março de 2007
Eu já aqui disse
que tenho uma vista fantástica do mar, mesmo daqui de onde escrevo??? No meu trabalho??? Não??? Então um dia destes publico uma foto...

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 16:41 | Permalink | 6 comments
quarta-feira, 7 de março de 2007
Acho que estás para mim
como a droga está para os agarrados: quando decidem fazer curas, vão lá para os centros e depois convém que não voltem para o seu "habitat natural", não é?
Comigo é o mesmo. Um dia que as coisas acabem (como acabar, se não chegou a começar? :)) vou ter que sair daqui. Não sei como, mas vou. Pelo menos por uns tempos. Sei lá, tiro um mês de férias seguido e com o prémio vou para algum lado. Mas aqui? Tudo me faz lembrar de ti. Todos os caminhos que eu faço diariamente, todos os amigos, todos os carros pretos, todas as motas, todas as casas à venda me remetem para ti...
Por isso o melhor é começar já a juntar o pé-de-meia, porque não vai ser fácil...

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 15:12 | Permalink | 7 comments
terça-feira, 6 de março de 2007
Tanto falam no aquecimento global...
Onde é que ele está agora, que já entrámos em Março?????
 
posted by Papoila at 14:16 | Permalink | 4 comments
E continua a saga...
Eu não vos digo? Hoje na hora do almoço já lá vi mais camiões de circo... Bolas, qualquer dia fazem fila!
 
posted by Papoila at 14:07 | Permalink | 3 comments
domingo, 4 de março de 2007
Então e a malta que vai aos estádios de futebol,
aquilo é tudo gente atrasada mental ou o conceito "minuto de silêncio" é MESMO complicado de perceber e eu sou de uma inteligência suprema?
 
posted by Papoila at 22:44 | Permalink | 12 comments
quinta-feira, 1 de março de 2007
Isto sou eu hoje,
sem complexos, sem medo de ser mal interpretada, sem pudores.

Porque a escrita serve também para nos exorcizarmos, para nos pôr a pensar sobre aquilo que nos angustia e nos atemoriza.

Sabes o que é? É o querer ter uma certeza que nunca vou ter. É o medo de te perder mais do que de me perder a mim própria. És tu na minha vida mais do que qualquer outra coisa. E isso não é saudável. E eu sei que não, mas isso sou eu... É uma ansiedade contínua, sem interrupções, ou só interrompida nos momentos em que me abraças e me dizes que gostas de mim ou nas noites em que dormimos juntos. Depois disso, volta o sentimento que me consome por dentro, que não me deixa amar-te sem medo. Isso existe, o amor sem medo? Existe alguém que ame e não sinta medo, numa altura ou noutra? Medo do depois, medo do que está para vir, medo da perda.

Todos os dias faço um esforço para não te ligar só por ligar. Todos os dias eu penso para mim mesma no que faria, na volta que daria à minha vida se tu chegasses ao pé de mim e me dissesses "encontrei outra pessoa por quem me apaixonei". Parece que tenho que pensar nessas alternativas para manter um certo equilíbrio dentro de mim, mas afinal de contas é essa mesma introspecção que me não me deixa ser feliz com aquilo que tenho...

Medo.

Medo.

Medo.

Porquê que eu sou assim quando tu me garantes que "são só filmes"? Porque sei que essa possibilidade existe e eu não posso fazer nada quanto a isso...

Queria que tu me prometesses "vou ficar contigo para SEMPRE" e houvesse uma lei cósmica que não te permitisse não cumprir essa promessa.

O facto é que eu não sei viver sem ser contigo e não sei como vai ser se um dia nos separarmos...

E isto ao fim de 6 (seis!) anos.

Porra, pá!

Etiquetas:

 
posted by Papoila at 11:28 | Permalink | 5 comments